Pin It

Resumo do Segundo dia de SPFW N46

Resumo do Segundo dia de SPFW N46. Confira quais foram os pontos altos do segundo dia de SPFW N46 com vários desfiles e novidades.

Resumo do Segundo dia de SPFW N46

O Segundo dia do SPFW N46 trouxe vários desfiles e coleções diversificadas. A programação contou com:  Osklen, Patricia Viera, Torinno, Modem e João Pimenta (feminino).

Desfile Osklen

Resumo do Segundo dia de SPFW N46

Resumo do Segundo dia de SPFW N46

Osklen- SPFW N46
out/2018
foto: Zé Takahashi/ FOTOSITE

Resumo do Segundo dia de SPFW N46

Osklen- SPFW N46
out/2018
foto: Zé Takahashi/ FOTOSITE

Resumo do Segundo dia de SPFW N46

Osklen- SPFW N46
out/2018
foto: Zé Takahashi/ FOTOSITE

Dando continuidade ao movimento ASAP (as sustainable as possible, as soon as possible), a Osklen apresentou a coleção ASAP Oceans, que faz parte de um manifesto maior em defesa dos mares e oceanos.

“Aceitamos a literalidade do assunto e tiramos proveito, no bom sentido”, disse Juliana Suassuna, diretora de estilo da marca.

O desfile teve três inspirações principais: o pescador, nos looks mais rústicos e amplos, feitos em fibras naturais; o mergulhador, com as peças de neoprene e mais justas ao corpo, e a do cientista, aqui simbolizado pela figura de Jacques Cousteau (os mais novos que não o conhecem irão se lembrar do adorável Steve Zissou, do filme de Wes Anderson).

Como sempre faz, a Osklen trouxe para perto algumas cooperativas para produzirem acessórios. A Artesol é uma delas e ficou responsável pela palha sustentável que vemos em bolsas e mochilas. Todos os macramês de corda, bem bonitos, também são feitos por cooperativas treinadas pela marca

Para quem se empolgar, a coleção já está nas lojas. Aliás, desta vez, foi o consumidor que viu antes. Enquanto faziam as últimas provas de roupa no espaço em cima de uma das lojas de São Paulo, a equipe ia recebendo dados das vendas dessa coleção. (CAMILA YAHN)

Desfile Patricia Vieira

Resumo do Segundo dia de SPFW N46

Resumo do Segundo dia de SPFW N46

Patricia Viera- SPFW N46
out/2018
foto: Ze Takahashi/ FOTOSITE

Resumo do Segundo dia de SPFW N46

Patricia Viera- SPFW N46
out/2018
foto: Ze Takahashi/ FOTOSITE

Resumo do Segundo dia de SPFW N46

Patricia Viera- SPFW N46
out/2018
foto: Ze Takahashi/ FOTOSITE

Resumo do Segundo dia de SPFW N46

Patricia Viera- SPFW N46
out/2018
foto: Ze Takahashi/ FOTOSITE

A praia de Patricia Viera é trabalhar o couro de maneiras impensáveis, manuseando a pele com a facilidade com que se modela e costura tecidos. Nesta coleção ela repete esse expertise, dessa vez em parceria com Natalia Rios, especialista em bordados feitos à mão, e com Alexandre Matias, estilista com experiência na alta moda italiana. A colaboração da dupla deu a muitas das peças um ar de festa, tanto em vestidos longos – muitos com base de tule e aplicações de couro – como em conjuntos de saia e blusa inteiras bordadas.

Nos looks mais diurnos, os motivos florais e os shapes das saias longas rodadas faziam referência às roupas folclóricas do Peru, a inspiração da coleção. Os bordados de Natalia também foram inspirados nas paisagens e na cultura inca peruana com contorno gráficos jaquetas, blusas saias e vestidos que ora alternavam, ora mesclavam o dourado e o prata com tons terrosos e rosa, verde, azul e cereja acalmados com pitadas de marrom. (CAROLINA VASONE)

Desfile Torinno

Resumo do Segundo dia de SPFW N46

Torinno- SPFW N46
out/2018
foto: Ze Takahashi/ FOTOSITE

Resumo do Segundo dia de SPFW N46

Torinno- SPFW N46
out/2018
foto: Ze Takahashi/ FOTOSITE

Resumo do Segundo dia de SPFW N46

Torinno- SPFW N46
out/2018
foto: Ze Takahashi/ FOTOSITE

Resumo do Segundo dia de SPFW N46

Torinno- SPFW N46
out/2018
foto: Ze Takahashi/ FOTOSITE

A marca de Luis Fiod estreou no SPFW com seu streetwear de luxo.

Segundo o diretor criativo, a coleção tem três pilares: floresta, campo militar e demolição; cada um gera um grupo de shapes e estampas.

A Torinno pode preencher um gap que existe para consumidores de todas as idades com espírito livre, que buscam por algo diferente e com qualidade e que não se contentam somente pelo arroz e feijão da moda masculina.

Vale destacar o trabalho no couro, especialmente nas jaquetas e bermudas, como no segundo look, em Leo Picon, e no conjunto com acabamento metalizado e fundo laranja na área do bolso. São pequenos detalhes de corte e cor, mas que fazem toda a diferença.

Cores e estampas fazem parte do DNA da marca e neste desfile não foi diferente. Há um trabalho forte com tons ora sóbrios, ora acesos, e um destaque para a estamparia. De 46 looks, 14 são estampados, reforçando a aposta da marca em criar uma estética fora do lugar comum para o público masculino.

Em uma entrevista, Luis celebrou o fato de que a Torinno tem agradado tanto homens quanto mulheres.

Quando a marca cria especificamente para a mulher, ela perde sua essência.  Tudo o que ela tem de diferencial se perde, pois passa a enxergar a mulher com um olhar antigo: vestidos mais justos, comprimentos curtíssimos e saltos altíssimos. Uma mulher poderosa, impecável e inatingível hoje parece fora de contexto, devido ao momento mesmo e todas as suas transformações. Se vale uma contribuição aqui, a Torinno pode seguir fazendo o que faz melhor – isso já é o suficiente para conquistar o público feminino. (Camila Yahn)

Desfile Modem

Resumo do Segundo dia de SPFW N46

Resumo do Segundo dia de SPFW N46

Modem- SPFW N46
out/2018
foto: Ze Takahashi/ FOTOSITE

Resumo do Segundo dia de SPFW N46

Modem- SPFW N46
out/2018
foto: Ze Takahashi/ FOTOSITE

Resumo do Segundo dia de SPFW N46

Modem- SPFW N46
out/2018
foto: Ze Takahashi/ FOTOSITE

Resumo do Segundo dia de SPFW N46

Modem- SPFW N46
out/2018
foto: Ze Takahashi/ FOTOSITE

Essa foi a estreia solo de André Boffano na Modem, depois três anos (desde que a marca foi criada) dividindo a direção criativa com Samuel Santos. Algumas coisas mudaram, e foram boas mudanças. O diálogo da grife com a arte continua, mas agora é usado para fazer um contraponto de fluidez à estrutura que é típica das roupas da grife. Nesta coleção, o rigor arquitetônico parece ter se permitido relaxar e acrescentar à simplicidade precisa e intelectual ao estilo Bauhaus um pouco de malemolência orgânica e a leveza de uma cartela com mix de cores, algo que também é novo para a marca.

A parceria artística dessa vez aconteceu com o designer e arquiteto Rodrigo Ohtake. Ele assinou a cenografia do desfile, com tapetes com shapes diversos e ondulados colocados ao longo da passarela. A cartela de cores da tapeçaria era a mesma da coleção, assim como o estilo dos desenhos abstratos e orgânicos, que Ohtake criou com exclusividade para a Modem transformar em estampa e em jacquards com bordados por cima nas malhas de tricô. O mix do creme, vinho,cáqui, marrom, branco e preto, muito chique (e inspirado na cartela de cores dos esmaltes da Vult, patrocinadora do desfile, algo inusitado, mas que deu certo) vai permeando a primeira parte da coleção que equilibra o rigor do couro com a textura mais molenga da malharia e da viscose.

A camisaria, os vestidos e as saias são assimétricos na barra (maioria), ou em algum aspecto da modelagem (como em fendas, abotoamentos). Os ilhoses dão um aspecto utilitário às roupas, enquanto as franjas dão um glamour com toque western. Uma curiosidade: o vestido todo de franjas da segunda parte do desfile foi feito manualmente por André durante um mês, com 40 tiras de couro e sete mil argolinhas de ilhoses.

Entre as novidades da marca nessa nova fase, há ainda as camisetas unissex (inéditas) e o maior número de acessórios (as sandálidas com salto grosso de gota e as botas também com salto grosso vasado são lindas e há novos tamanhos e cores da bolsa Câmera Bag e as novas e mais bijoux assinadas pela GLA Acessórios).

A beleza, assinada por Daniel Hernandez, trouxe um cabelo molhado com topete muito moderno e desejável, uma boca vinho avermelhado molhada vinilizada anos 80 num mood garota do Fantástico muito cool e moderna. (CAROLINA VASONE)

Desfile João Pimenta (feminino)

Resumo do Segundo dia de SPFW N46

Resumo do Segundo dia de SPFW N46

Joao Pimenta Feminino- SPFW N46
out/2018
foto: Ze Takahashi/ FOTOSITE

Resumo do Segundo dia de SPFW N46

Joao Pimenta Feminino- SPFW N46
out/2018
foto: Ze Takahashi/ FOTOSITE

Resumo do Segundo dia de SPFW N46

Joao Pimenta Feminino- SPFW N46
out/2018
foto: Ze Takahashi/ FOTOSITE

Resumo do Segundo dia de SPFW N46

Joao Pimenta Feminino- SPFW N46
out/2018
foto: Ze Takahashi/ FOTOSITE

Resumo do Segundo dia de SPFW N46

Joao Pimenta Feminino- SPFW N46
out/2018
foto: Ze Takahashi/ FOTOSITE

João Pimenta criou uma coleção 100% algodão, o que significa que não teve nem zíper ou botão, nada que não fosse algodão. Para isso, ele contou com o apoio da Sou de Algodão e de cooperativas que desenvolvem materiais especiais a partir da fibra.

Um deles é o que João chama de couro vegano por sua aparência, mas na verdade, na Amazônia, ele é chamado de Guardião da Floresta e é feito pela Cooperflora. O Guardião é produzido dentro da mata e fica 15 dias ao relento pra aplicação de látex extraído da árvore. “Esse produto, se descartado, desaparece em três anos”, explica João ao receber o FFW no backstage. O material parece couro mesmo e enriqueceu a coleção com sua textura mais lustrosa (e em lindas cores).

Mas o processo não foi assim tão fácil na sua totalidade. Quando a sarja chegou em seu ateliê, bateu um pânico: “como vou fazer paletó e vestido de festa com sarja?”. Em vez de amarelar e desistir, ele foi ainda mais a fundo: desenhou vestido sereia, babados e mangas bufantes – “tudo o que a gente morre de medo” – e construiu esses looks no tecido que é normalmente usado pra fazer vestimentas mais simples, como uniformes. Alguns peças construídas em moulage foram feitas por alunos do Senac, onde Pimenta é consultor criativo.

A coleção é um exercício de volume, contrapondo o peso do tecido com a leveza conquistada pelos recortes e amarrações. Também é um equilíbrio da estética de João, que conhecemos desde que começamos a acompanhar seu masculino (peso, volume, construção) com uma nova leveza, um momento mais arejado.

Essa coleção é, de certa forma, política. A personagem que ele criou em sua cabeça é uma índia transportada para um mundo urbano – por isso os tênis Reebok nos pés das modelos. O casting é quase inteiramente negro ou mestiço e muitas peças são feitas com a colaboração de assentamentos. Sem falar que ainda radical é no sentido de ser inteira de algodão, sem nenhuma margem para recuos. “O Brasil é um dos maiores produtores de algodão do mundo. Vamos usar nosso produto. É coerente que as mulheres olhem pra essa fibra”, diz.

Por isso não fez sentido que a atriz Camila Queiroz tenha fechado o desfile. Explica-se: Camila é a nova embaixadora da Reebok, marca parceira do estilista, que lançou em seu desfile um novo modelo de tênis, o Pump Supreme. Essas amarrações são comuns e não há nada de errado com isso. Porém, Camila não representa a história que João contou em sua passarela. (Camila Yahn)


E ai, o que acharam desse segundo dia? Qual desfile favorito de vocês?

XOXO

pamela auto blogueira recife moda blog de moda blog moda recife, blog cinema recife, blog entretenimento recife, pamela auto, cabelo azul, blogueira de recife, moda recife, melhor blogueira recife

pamela auto blogueira recife moda blog de moda blog moda recife, blog cinema recife, blog entretenimento recife

Share This:

Pamela Autoo

Pamela Auto, Formada em Administração, 24 anos e Blogueira de Recife - PE. Acredito na liberdade de expressão e que podemos ser quem quisermos. Então sejamos nós mesmos, sem medo de ser estranho/weird! https://letmebeweird.com/

Você pode gostar...

Deixe um Comentário

%d blogueiros gostam disto: